Que Dia é Hoje?

29/10/1923
A República da Turquia é proclamada

Anatólia (Turquia asiática) foi ocupada em 1900 a.C. pelos indo-europeus Hittites e, após o colapso do império Hittite em 1200 a.C., pelos frígios e pelos lídios. O Império Persa ocupou o território no século VI a.C., dando passagem ao Império Romano. Os primeiros otomanos chegaram à região no início do século XIII. Eles se espalharam pelo oriente e balcãs, tomando Constantinopla, em 1453.

O Império Otomano se estendeu do golfo Pérsico a Argélia ocidental, gerando, durante 600 anos, um grande derramento cultural da arte, arquitetura, e literatura islâmicas. Após o reinado do sultão Süleyman I, o Magnífico, o império Otomano entrou em declínio político, administrativo e econômico.

No século XVIII, a Rússia procurou se estabelecer como protetora dos cristãos no territórios balcânicos da Turquia. Em 1909, os jovens liberais da Turquia organizaram protesto para forçar o Sultão Abdul Hamid a conceder uma constituição e instalar um governo liberal. No entanto, as reformas não conseguiram evitar as derrotas turcas na guerra contra a Itália e nas Guerras Balcânicas. A Turquia lutou ao lado da Alemanha na Primeira Guerra Mundial e, como resultado, perdeu parte de seu território.

Os limites atuais da Turquia foram traçados em 1923, na Conferência de Lausanne. O país se tornou uma República, com Kemal Atatürk como presidente. Após a morte de Atatürk, em 1938, o governo parlamentar e o sistema de multipartidarismo foram instaurados. A Turquia tornou-se membro da OTAN em 1952 e associou-se ao Mercado Comum Europeu em 1963.

O país invadiu o Chipre em 20 de julho de 1974, após o fracasso em resolver os conflitos entre cipriotas turcos e gregos pela diplomacia. A trégua foi anunciada no dia 16 de agosto. Cipriotas turcos estabeleceram o próprio Estado, no norte, em 13 de fevereiro de 1975.

O estabelecimento de um governo militar, em setembro de 1980 trouxe uma pequena melhora na economia. Uma nova constituição foi aprovada em novembro de 1982. A opressão da minoria curda e de sua cultura levou ao surgimento, em 1984, do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), com uma campanha de militância terrorista, sob a liderança de Abdullah Ocalan. Os rebeldes curdos lutavam por um estado autônomo. Os conflitos entre o exército turco e o PKK deixaram mais de 35.000 mortos, durante os 1980 e 1990. No dia 16 de fevereiro de 1999, Ocalan foi capturado e sentenciado à morte.

Em março de 2003, o parlamento da Turquia permitiu que os EUA usassem bases turcas na guerra contra Iraque. Pesquisas turcas informaram que 90% dos turcos eram contra a guerra, mas os EUA prometeram ajuda econômica ao país. Em novembro, dois ataques terroristas abalaram Istambul: bombas explodiram perto de duas sinagogas e o Consulado e um banco britânicos foram alvos de atentados. Mais de 50 pessoas morreram e centenas ficaram feridas nos ataques. A rede terrorista Al Qaeda foi apontada como responsável.

Num esforço para ser aceita na União Europeia, a Turquia remodelou algumas de suas leis. Em 2003, o parlamento aprovou uma lei reduzindo o papel do exército na vida política do país e oferecendo anistia parcial aos membros do PKK.