Que Dia é Hoje?

19/10/1812
As tropas francesas, sob o comando de Napoleão, começam a se retirar de Moscou

Napoleão I (1769-1821), imperador da França. Chegou ao poder através do Golpe do 18 Brumário, marcando o fim do Diretório e o início do Consulado. Como cônsul, Napoleão centralizou a administração e recrutou funcionários e oficiais militares de todas as camadas da sociedade, inclusive imigrantes. As reformas administrativas de Bonaparte estabeleceram um eficiente estado moderno, ele criou o Banco da França e também fez as pazes com a Igreja Católica pela Concordata de 1801.

Enquanto estabelecia seu regime na França, Napoleão também lutava contra os inimigos do país, cruzando a passagem de São Bernard e derrotando os austríacos em Marengo, na Itália. Em 1802, incorporou Piemonte à França. Suas intervenções na Itália, Alemanha, Suíça e Países Baixos, bem como sua recusa em estabelecer um tratado comercial com a Grã-Bretanha despertaram a desconfiança dos britânicos. Em maio de 1803, a Grã-Bretanha declarou guerra à França. Em dezembro de 1804, Napoleão foi coroado imperador. Em 1805, Napoleão se declarou rei da Itália, anexando Gênova. Grã-Bretanha, Áustria, Rússia e Suécia formaram uma coalizão contra o imperador francês. Napoleão esmagou os austríacos em Ulm, ocupou Viena e venceu os russos e austríacos em Austerlitz. A Prússia, que entrou na coalizão em 1806, foi derrotada em Jena.

O poder britânico no mar era superior ao francês, então Napoleão resolveu derrotar a Grã-Bretanha através de uma guerra econômica, com o Bloqueio Continental. Pelo Tratado de Tilsit, o rei Frederick William da Prússia perdeu metade de seus territórios e tornou-se vassalo da França. A Suécia foi derrotada em 1808. Somente com a Grã-Bretanha fora de sua esfera de domínio, Napoleão tornou-se o senhor do Continente.

O mapa inteiro da Europa foi redistribuído. Os estados da Alemanha já tinham sido alterados pela Confederação de Reno. O Sacro Império Romano foi dissolvido, os reinos da Holanda e de Westphalia foram criados, com Louis e Jérôme Bonaparte, irmãos de Napoleão, ocupando os tronos; Seu enteado, Eugène de Beauharnais, tornou-se vice-rei de Itália e Joseph Bonaparte, irmão do imperador, rei de Nápoles. A Grã-Bretanha não se submeteu ao Bloqueio Continental e as primeiras fraquezas de Napoleão apareceram no início da Guerra Peninsular. A vitória de Arquiduque Charles, em Aspen, mostrou que o imperador não era invencível.

Quando o czar Alexandre I rejeitou o Bloqueio Continental à Grã-Bretanha, Napoleão reuniu o maior exército já visto. As tropas francesas invadiram a Rússia em junho de 1812. Após a Batalha de Borodino, em que ambos os lados sofreram perdas terríveis, Napoleão chegou a Moscou. Incêndios surgiram por todos os lados, deixando a cidade praticamente inabitável. Com as suas tropas dizimadas e seus aposentos de inverno incendiados, Napoleão começou sua retirada de Moscou. O imperador só contava com um quinto dos homens que havia levado à Rússia. Dos seus aliados, a Prússia foi a primeira a desertar, após uma trégua com a Rússia. Em agosto de 1813, Grã-Bretanha e Suécia formaram uma coalizão, que mais tarde contou com o apoio da Áustria, e iniciaram a "Guerra de Libertação".

Em novembro os aliados ofereceram paz a Napoleão se a França retornasse a seus limites naturais. Napoleão rejeitou a oferta e os aliados continuaram avançando. As forças da coalizão tomaram Paris em 31 de março de 1814. Napoleão, então, abdicou em favor de seu filho. Foi exilado na Ilha de Elba.

As nações vencedoras estavam no Congresso de Viena quando Napoleão chegou a Cannes. Ele recuperou a França. O rei Luís XVIII fugiu e Napoleão entrou em Paris, iniciando o governo dos Cem Dias. Tentando reconstruir seu império, Napoleão foi derrotado na campanha de Waterloo. Foi exilado na Ilha de Santa Helena, onde morreu em 5 de maio de 1821.