Que Dia é Hoje?

13/9/1943
Chiang Kai-Shek torna-se presidente da China

Chiang Kai-shek (1887-1975), líder nacionalista chinês. Após completar seu treinamento militar com o exército japonês, ele retornou a China em 1911 e tomou parte da revolução contra os Manchus. Quando Sun Yat-sen estabeleceu o governo Guangzhou, Chiang lhe deu apoio militar. Em 1923, ele foi enviado por Sun para a URSS para estudar a organização militar soviética. Ao retornar, foi nomeado comandante da recém-estabelecida Academia Militar de Whampoa.

Em 1926, Chiang lançou a Expedição do Norte, liderando o vitorioso exército Nacionalista em Hankou, Shanghai, e Nanjing. Após a morte de Sun Yat-sen, Chiang seguiu sua política de cooperação com os comunistas chineses e a aceitação de ajuda russa até 1927, quando foi iniciada uma guerra civil entre o Kuomintang e os comunistas. Até o final de 1927, Chiag controlou o Kuomintang e, em 1928, ele se tornou o chefe do governo nacionalista em Nanjing e generalíssimo de todas as forças nacionalistas chinesas.

Em 1936, foi preso pelo general Chang Hsüeh-liang e forçado a acabar com a guerra civil contra os comunista e a estabelecer uma frente unida contra os invasores japoneses. Apesar de trégua, da liberdade de Chiang e da eclosão, em 1937, da segunda guerra sino-japonesa, o acordo entre nacionalistas e comunistas logo foi quebrado.

Em 1940, as melhores tropas de Chiang foram usadas contra os comunistas do noroeste. Após os japoneses tomarem Nanjing e Hankou, Chiang mudou sua capital para Chongqing. Como a guerra sino-japonesa se misturou com a Segunda Guerra Mundial, o prestígio internacional de Chiang aumentou. Ele e sua esposa foram os símbolos internacionais da China na guerra. Após o fim da Segunda Guerra, Chiang não conseguiu chegar a um acordo com os comunistas e a guerra civil continuou na China.

Em 1948, foi eleito presidente, mas renunciou em seguida, sendo substituído por seu vice, general Li Tsung-jên, que tentou um trégua com os comunistas. As conversas fracassaram e, em 1949, Chiang reassumiu a liderança do Kuomintang. Em 1950, Chiang e o governo nacionalista foram mandados para a ilha de Taiwan (Formosa) e perderam o apoio dos EUA.

Em Taiwan, ele estabeleceu uma ditadura simbólica. Organizou suas forças militares e instituiu reformas políticas e democráticas. Porém, seu prestígio internacional foi enfraquecido e, em 1971, a ONU expulsou seu regime e aceitou os comunistas como o governo legítimo único de China. Chiang continuou como presidente da ilha de Formosa até sua morte, em 1975.