Que Dia é Hoje?

7/5/1888
O projeto de abolição da escravatura é aprovado na Câmara

A escravidão durou 300 anos no Brasil. A base de sua longa permanência foi a questão econômica. A economia do país contava somente com o trabalho escravo para diversas atividades, como o plantio de cana-de-açúcar.

As providências para a libertação dos escravos foram tomadas lentamente e de forma tímida na maioria das vezes. Em muitos casos, havia empregadores que se tornavam abolicionistas não por um sentimento humanitário, mas porque essa prática foi se tornando desvantajosa economicamente, com o encarecimento da compra de escravos, por exemplo. Além disso, o país se inspirava na industrialização ocorrida na Inglaterra, meio de produção em que não cabia mais esse tipo de trabalho.

Gradativamente foram surgindo passos rumo à liberdade. Em 1850 houve a extinção do tráfico negreiro. Vinte anos depois foi declarada a Lei do Ventre-Livre, que tornava livre os filhos de escravos que nascessem a partir daquela data.

Em 1885, foi aprovada a lei Saraiva-Cotegipe ou dos Sexagenários que beneficiava os negros de mais de 65 anos, considerada uma piada por muitos abolicionistas, já que, devido às precárias condições de vida, poucos escravos atingiam tal idade. Nesses casos, era um fardo o empregador sustentar um escravo idoso, e a lei constituía um benefício aos fazendeiros.

Em 7 de maio de 1888 a Câmara finalmente aprovou a Lei Áurea, abolindo a escravidão no Brasil em todas as suas formas. Cerca de uma semana depois, em 13 de maio, a lei foi assinada pela Princesa Isabel.

Conteúdos relacionados
» Abolicionismo
» Abolição da Escravidão